Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Ficha técnica:

Realizador: Teresa Villaverde
Argumento: Teresa Villaverde
Fotografia: Emmanuel Machuel
Produtora: Madragoa Filmes, Instituto do Cinema, Audiovisual e Multimédia (ICAM), Radiotelevisão Portuguesa (RTP)

Água e Sal

Um filme de Teresa Villaverde

Voltar
Ana vive numa pequena aldeia junto ao mar, com o marido e a filha. O marido parte por uns dias e Ana tenta concentrar-se para terminar um projecto. Porém, as suas deambulações diárias pela aldeia e pela praia ameaçam a sua concentração. “Este filme é sobre alguém que precisou que o tempo parasse. A poesia sabe fazer parar o tempo, o cinema tenta”, escreveu Teresa Villaverde.
  • Elenco:

    Galatea Ranzi, Joaquim de Almeida, Maria de Medeiros
  • Título original:

    Água e Sal
  • País:

    Portugal, Itália
  • Ano:

    2001
  • 117’

Ficha técnica:

Realizador: Teresa Villaverde
Argumento: Teresa Villaverde
Fotografia: Emmanuel Machuel
Produtora: Madragoa Filmes, Instituto do Cinema, Audiovisual e Multimédia (ICAM), Radiotelevisão Portuguesa (RTP)

Horários

Espaço Nimas

Leg. EN

Realizador

Teresa Villaverde

Realizadora, argumentista e produtora, Teresa Villaverde é um dos nomes mais importantes da geração de realizadores portugueses surgidos na década de 90. É autora de uma filmografia muito pessoal, marcada por uma certa portugalidade e uma particular atenção a temas como a infância e a adolescência, a inadaptação e a dificuldade de comunicação interpessoal.

Participou como actriz, cenógrafa, argumentista, assistente de realização e de montagem em diversas produções, antes de realizar um trio de longas-metragens marcante, presente nos maiores festivais de cinema: A Idade Maior (1991), uma reconstituição do Portugal do início da década de 70, marcado pela Guerra Colonial, Três Irmãos (1994), que recebeu o Prémio de Melhor Actriz no Festival de Veneza, atribuído a Maria de Medeiros e (1998), seleccionado para o Festival de Cannes, secção Un Certain Regard, abordando o desenraizamento de jovens adolescentes oriundos de ambientes familiares disfuncionais.

Em 2006, Teresa Villaverde realiza Transe, retratando a imigração ilegal e o tráfico de mulheres, também escolhido para os festivais de Cannes (Quinzena dos Realizadores) e Toronto, contribuindo definitivamente para a sua projecção internacional.

Cisne (2011) reúne muitos dos temas dos seus filmes anteriores, ecos das suas primeiras obras, recorrências e prolongamentos de Água e Sal, a sua longa-metragem de 2001.

Teresa Villaverde colaborou em algumas obras colectivas, contribuindo com os seus segmentos em Visions of Europe (2004), Venice 70 – Future Reloaded (2013) e Pontes de Sarajevo (2014). Em 2004 realizou igualmente um documentário, A Favor da Claridade, um retrato do artista Pedro Cabrita Reis.

Em 2016, Teresa Villaverde prepara-se para estrear um novo filme, Colo, que conta com Beatriz Batarda como protagonista.

A décima edição do Lisbon & Estoril Film Festival irá dedicar uma retrospectiva integral à sua obra.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.