Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Ciclos Temáticos - Neoliberalismo - A semente do populismo e dos novos fascismos?

Ficha técnica:

Realizador: Emir Kusturica 
Argumento: Emir Kusturica
Fotografia: Leonardo Hermo
Produtora: &S Films/ Rasta international / Moe

El Pepe, una vida suprema

Um filme de Emir Kusturica

Voltar
“El Pepe, una vida suprema” é o novo filme de Emir Kusturica, sobre o último presidente do Uruguai.

O filme examina o que torna a história de José “Pepe” Mujica única: um homem humilde que se tornou presidente do seu país mantendo a fé nas suas crenças, enquanto instigava simultaneamente a mudança. 

É a história de um activista político, antigo guerrilheiro da esquerda da América Latina. Orgulhoso do seu passado, mas longe de viver na sombra dos seus louros, “El Pepe” é um homem que ousa sonhar um futuro melhor. 

Numa série de entrevistas, Kusturica estuda o legado de Mujica. O filme explora a dinâmica da relação entre Kusturica e “El Pepe”, dois espíritos em sintonia que se juntam para discutir o significado da vida, nas suas perspectivas política, filosófica, estética e poética.  Mujica recupera diversos momentos da sua vida, o início do activismo político, o tempo passado na prisão até ao papel que ocupa actualmente, o de líder global iconoclasta.
  • Elenco:

    Pepe Mujica
  • Título original:

    El Pepe, una vida suprema
  • País:

    Argentina, Uruguai, Sérvia
  • Ano:

    2018
  • 73' Legendas: Inglês

Ficha técnica:

Realizador: Emir Kusturica 
Argumento: Emir Kusturica
Fotografia: Leonardo Hermo
Produtora: &S Films/ Rasta international / Moe

Horários

Cinema Medeia Monumental Sala 4

Realizador

Emir Kusturica

Cineasta, argumentista, actor e músico, nascido em Sarajevo, Emir Kusturica é autor de uma filmografia singular, marcada por um intenso realismo mágico, celebrativa da vida e do cinema, assombrada, desde os anos 1990, pela dissolução da ex-Jugoslávia e pela Guerra dos Balcãs. 

Depois de estudar em Praga na famosa FAMU, a escola de cinema estatal checa, Kusturica realiza duas longas-metragens que lhe dão imediata notoriedade e reconhecimento: Lembras-te de Dolly Bell? (evocação da Jugoslávia dos anos 1960, Leão de Prata para uma primeira obra no Festival de Veneza, em 1981) e O Pai foi em viagem de negócios (Palma de Ouro em Cannes em 1985).

O Tempo dos Ciganos (1988, o seu primeiro grande sucesso de público) e Arizona Dream (1993, realizado nos Estados Unidos, uma desconstrução tragicómica do sonho americano, com Johnny Depp, Faye Dunaway e Jerry Lewis) abrem-se definitivamente à apaixonada exuberância da sua visão obsessiva do cinema e do mundo, herdeiras das de um Fellini.

O universo de Kusturica, povoado por uma galeria culturalmente complexa de personagens desfavorecidas, bizarras ou à margem (de diversas etnias, religiões e nacionalidades) e por uma miríade de animais invadindo a acção, desenha-se na dualidade de realidade e fantasia (frequentemente, as histórias contadas são verdadeiras e acendem o rastilho da imaginação dos filmes), a que o onirismo da levitação, a sensualidade dos desejos, a intensidade operática e a euforia da música conferem uma audácia e energia sem par.

Underground (o seu filme mais célebre, com o sugestivo subtítulo “Era uma Vez um País”), parábola da história jugoslava, arrecada uma segunda Palma de Ouro em Cannes, em 1995. Gato Preto, Gato Branco (1998, com música composta, pela primeira vez, pela No Smoking Orchestra, a banda de garage rock com influências punk e folk, fundada em 1981, a que Kusturica se juntou em 1986 e que assinaria desde aí a banda sonora dos seus filmes), recebe o Leão de Prata para a Melhor Realização no Festival de Veneza.

Em 2001, realiza Super 8 Stories, um documentário sobre a No Smoking Orchestra e em 2004, A Vida É um Milagre, que ganha o César 2005 para melhor filme da União Europeia. Depois de um outro filme de ficção, Promise Me This (2007), lança em 2008 Maradona, um documentário em torno da história do famoso jogador de futebol argentino.

On The Milky Road (2016), estreado no Festival de Veneza, a sua primeira longa-metragem em nove anos, junta o próprio Kusturica, no principal papel masculino, a Monica Bellucci, numa peculiar (e real) história de amor, com a memória da Guerra dos Balcãs ainda em fundo.

Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.