Lisbon & Estoril Film Festival

Arquivos

Edição 2018

Filmes

Homenagens - João Botelho

Ficha técnica:

Realizador: João Botelho
Argumento: João Botelho
Fotografia: João Ribeiro
Produtora: Ar de Filmes

Os Maias: Cenas da Vida Romântica

Um filme de João Botelho

Voltar
A tragédia e comédia na vida de Carlos começa, cresce e termina como a tragédia e comédia de Portugal. Na companhia do seu amigo íntimo e brilhante escritor, João da Ega, Carlos, na sua existência ociosa como médico aristocrata, passa o seu tempo a desfrutar de amigos e amantes. Até ao dia em que se apaixona: ela é uma personagem nova neste romance revolucionário. É uma paixão vertiginosa que vai para além da tristeza do passado para alcançar um novo e mais sombrio abismo...
  • Elenco:

    Graciano Dias, Maria Flor, João Perry, Pedro Inês, Hugo Mestre Amaro, Maria João Pinho, Adriano Luz
  • Título original:

    Os Maias: Cenas da Vida Romântica
  • País:

    Portugal
  • Ano:

    2014
  • 140'

Ficha técnica:

Realizador: João Botelho
Argumento: João Botelho
Fotografia: João Ribeiro
Produtora: Ar de Filmes

Realizador

João Botelho

João Botelho, realizador e argumentista, nasceu em Portugal em 1949. Estreou-se nas longas metragens com Conversa Acabada, um filme com estreia mundial na Quinzena dos Realizadores em Cannes, em 1982. Seguiram-se Um Adeus Português (1985), e Tempos Difíceis – Este Tempo (1988), vencedor do prémio FIPRESCI em Veneza, em que adapta a obra de Dickens para a realidade portuguesa. Visitou também as obras de Garrett com Quem És Tu? (2000), recebendo por ele o prémio Mimo Rotella para Melhor Contribuição Artística na Bienal de Veneza, de Diderot com O Fatalista (2005), de Agustina Bessa-Luís com A Corte do Norte (2008), e de Pessoa com o Filme do Desassossego (2010). Os Maias (2014), baseado na obra clássica de Eça de Queirós, foi o filme português mais visto nos cinemas nesse ano, ultrapassando os 100 mil espectadores. Seguiu-se a “carta de amor” a Manoel de Oliveira com O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu (2016) e o filme Peregrinação (2018). Ao longo dos seus 43 anos de carreira, João Botelho apresentou os seus filmes nos festivais de Cannes, Roma, Veneza, Berlim, Belfort e outros, onde foi frequentemente premiado. O seu mais recente filme, O Ano da Morte de Ricardo Reis (2020), adapta o célebre romance homónimo de José Saramago.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.