Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Homenagens e Retrospectivas - L.A. Rebellion

Festivais e Prémios:

Festival de Berlim 1978 - Prémio FIPRESCI 
Festival Internacional de Locarno 1997 - Seleção Oficial em Competição
Festival de Berlim 2007 - Prémio da Crítica

Ficha técnica:

Argumento: Charles Burnett
Produção: Charles Burnett
Director de Fotografia: Charles Burnett

Killer of Sheep

Um filme de Charles Burnett

Voltar
Com uma aura existencial e realista, Killer of Sheep acompanha a vida de uma comunidade afro-americana no bairro de Watts, Los Angeles, que se centra no círculo de Stan, empregado de um matadouro que começa a sofrer os efeitos emocionais do seu alienante trabalho. O filme foge a uma estrutura narrativa tradicional, preferindo acompanhar a vida urbana através de distintas vinhetas: as brincadeiras das crianças na rua, a tentação do crime, a dança íntima de Stan e da sua esposa, entre vários outros momentos quotidianos. A música afro-americana prevalece ao longo das várias cenas, criando uma atmosfera poética e emocionalmente envolvente.

O filme foi o projecto final de mestrado de Burnett, contando com amigos e colegas de trabalho para integrar o elenco. Apesar da realização com um orçamento muito limitado, e das dificuldades iniciais em conseguir os direitos musicais para a distribuição ampla do filme, Killer of Sheep estabeleceu a reputação internacional de Charles Burnett. Aplaudido por críticos pela sua sensibilidade, o filme apresenta a comunidade afro-americana de uma forma realista - livre dos estereótipos e convenções visuais de Hollywood, em prol de um retrato austeramente mais honesto. Killer of Sheep foi seleccionado para integrar o Registo Nacional de Filmes da América do Norte, da Biblioteca do Congresso, em 1990.
  • Elenco:

    Henry G. Sanders, Kaycee Moore, Angela Burnett, Jack Dr
  • Título original:

    Killer of Sheep
  • País:

    Estados Unidos da América
  • Ano:

    1978
  • 80' EN, Legendas: PT

Festivais e Prémios:

Festival de Berlim 1978 - Prémio FIPRESCI 
Festival Internacional de Locarno 1997 - Seleção Oficial em Competição
Festival de Berlim 2007 - Prémio da Crítica

Ficha técnica:

Argumento: Charles Burnett
Produção: Charles Burnett
Director de Fotografia: Charles Burnett

Horários

Cinema Medeia Nimas

Com a presença de Charles Burnett e dos curadores
6€

Realizador

Charles Burnett

O realizador, produtor e escritor norte-americano nasceu em 1944, no Mississipi. A sua sensibilidade à condição afro-americana é associada à sua experiência em  Watts, Los Angeles, local onde viveu a partir de 1947. Em Watts, testemunharia múltiplas injustiças estatais, assim como a violenta repressão policial sobre uma população racialmente segregada e privada de oportunidades igualitárias de educação e trabalho.

Após estudar escrita e linguagens, Burnett completou o mestrado em Teatro e Cinema na UCLA -  Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Burnett viria a tornar-se um dos cineastas associados ao movimento L.A. Rebellion, ou ‘Los Angeles School of Black Filmmakers’: uma geração de realizadores dos anos 60 a 80 da UCLA, criadores de um revolucionário Cinema Negro divergente das convenções artificiais e estereotipadas de Hollywood e atento às reais vivências da comunidade afro-americana.

A primeira longa-metragem de Burnett, Killer of Sheep, foi submetida como seu projeto final de mestrado em 1977. Apesar do filme ter sido estreado no Whitney Museum, em 1978, e integrado no Registo Nacional de Filmes da América do Norte, da Biblioteca do Congresso dos EUA, em 1990, manteve-se publicamente inacessível até 2007. O filme, descrito como “uma mera apresentação da vida - por vezes assombrosamente desanimadora, outras vezes repleta de alegria e de delicado humor”, recebeu reconhecimento internacional. Foi aclamado por críticos como uma das melhores produções independentes e galardoado em festivais como a Berlinale, Sundance Film Festival e New York Film Critics Circle.

O caráter humano e atencioso de Burnett é também evidente na comédia dramática My Brother’s Wedding (1983, re-editada em 2007), e a importância cultural e histórica de To Sleep With Anger (1990) foi reconhecida pelo Registo Nacional de Filmes da América do Norte, da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. O realizador foi recipiente de conceituadas bolsas atribuídas pela Fundação  Guggenheim, Fundação Rockeffeler e Fundação J.P. Getty. Burnett continuaria a abordar temas como a corrupção e o racismo policial (The Glass Shield, 1994), os movimentos de liberação (Namibia: The Struggle for Liberation, 2007) e levaria esta prática também para a televisão em projectos como NightJohn (1996), Selma, Lord, Selma (1999) e Warming By the Devil’s Fire (2003), um episódio na série The Blues, de Martin Scorsese, entre outras contribuições.

Muitos dos seus colegas da UCLA manter-se-iam como amigos e colaboradores de profissão ao longo da vida. Burnett foi cinematógrafo em Bush Mama (de Haile Gerima, 1979), filmou e editou Illusions (de Julie Dash, 1982) e argumentista e cinematógrafo de Bless Their Little Hearts (de Billy Woodberry, 1984).
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.