Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Homenagens e Retrospectivas - Clément Cogitore

Prémios:

Festival de Cannes – Prémio Unifrance para Curta-Metragem
Festival Internacional de Curtas-Metragens Clermont-Ferrand – Prémio do Público

Ficha técnica:

Produção: 3e Scène, Ópera Nacional de Paris – Les Films Pelleas

Les Indes galantes

Um filme de Clément Cogitore

Voltar
Les Indes Galantes é um ballet-ópera criado por Jean Philippe Rameau em 1735, inspirado nas danças tribais indígenas do Luisiana que foram apresentadas pelos chefes Metchigaema em Paris, em 1723. Clément Cogitore adapta uma breve parte do ballet, interpretada por um grupo de dançarinos Krump, um estilo nascido nos ghettos negros de Los Angeles nos anos 90. A sua origem remonta ao espancamento de Rodney King e aos protestos, bem como à repressão policial, que o acontecimento desencadeou. Contra o pano de fundo desta atmosfera coerciva, os jovens dançarinos começaram a encarnar as tensões violentas do corpo físico, social e político. Tanto a dança tribal apresentada em Paris em 1723 como os rebeldes dançarinos Krump dos anos 90 formam uma reconstituição do libreto original de Rameau, encenando jovens a dançar à beira de um vulcão.
  • Título original:

    Les Indes galantes
  • País:

    França
  • Ano:

    2018
  • 6’ Legendas: Inglês

Prémios:

Festival de Cannes – Prémio Unifrance para Curta-Metragem
Festival Internacional de Curtas-Metragens Clermont-Ferrand – Prémio do Público

Ficha técnica:

Produção: 3e Scène, Ópera Nacional de Paris – Les Films Pelleas

Horários

Realizador

Clément Cogitore

Jovem mestre das artes visuais, Clément Cogitore domina a união entre filme, fotografia e vídeo experimental. Explorando o conceito de memória colectiva, as suas obras são lugares de intersecção entre o cinema e a arte contemporânea, questionando assim o modo como convivemos com as nossas próprias imagens e representações. Entre outras distinções, Cogitore viu a sua primeira longa-metragem Ni le ciel ni la terre (2015) seleccionada para a Semana da Crítica em Cannes, recebeu o prestigioso Prémio Marcel Duchamp em 2018 e teve o seu trabalho exibido em espaços como o Centre Pompidou em Paris, o Institute of Contemporary Arts em Londres, a Haus der Kulturen der Welt em Berlim e o MoMA em Nova-Iorque.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.