Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Ciclos Temáticos - Looking for Homeland

Ficha técnica:

Realizador: Sarah Maldoror
Argumento: Sarah Maldoror, Mario de Andrade, Serge Michel Produção: Département Orientation et information du Front National de libération

Monangambé

Um filme de Sarah Maldoror

Voltar
Uma mulher visita o marido na prisão. Ao partir, faz-lhe uma promessa, mas o guarda que os vigia revela os seus segredos ao director da prisão. Por causa de um mal-entendido de linguagem, as personagens serão submetidas a interrogações brutais e lutarão pelas suas vidas. Intitulado “Monangambee!”, um grito angolano que significa “morte branca”, o filme ilustra o medo sentido pelas comunidades que Maldoror representa nesta curta-metragem.
  • País:

    Argélia
  • Ano:

    1969
  • 18 min Legendas PT (Brasil)

Ficha técnica:

Realizador: Sarah Maldoror
Argumento: Sarah Maldoror, Mario de Andrade, Serge Michel Produção: Département Orientation et information du Front National de libération

Horários

Sala Fernando Lopes - Universidade Lusófona

Monangambe, Sarah Maldoror (1969)
À Bissau, Carnaval, Sarah Maldoror (1980)
Fogo, Lîle de feu, Sarah Maldoror (1979)
The Island of St. Matthews, Kevin Jerome Everson (2013)
Seguido de conversa com os curadores Alexey Artamonov, Denis Ruzaev e Ines Branco Lopez

Realizador

Sarah Maldoror

Sarah Maldoror nasceu em 1939 filha de mãe francesa e de pai natural da Ilha Marie Galante (Arquipélago de Guadalupe). Em 1956, fundou em Paris o grupo de teatro “Les Griottes”, que, através de adaptações de Sartre e Aimé Césaire, trabalhava o conceito de a “negritude”. Mais tarde, ganhou uma bolsa concedida pela antiga URSS na Guiné Conacri, e foi estudar na Academia de Cinema de Moscovo. Lá, conheceu Ousmane Sembène, que alguns consideram ser o “pai” do filme africano. Entretanto, como em Paris conhecera o nacionalista angolano Mário Pinto de Andrade,  Maldoror inicia-se na luta pela independência das colónias africanas e acompanha os primórdios do MPLA. O seu primeiro filme, intitulado Monagambée, de 1968, examina técnicas de tortura utilizadas pelos franceses na guerra da Argélia, e foi seleccionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 1971. Foi logo no ano seguinte que Maldoror realizou a sua obra mais emblemática, Sambizanga (1972), filmada no Congo, que retrata a prisão do  activista revolucionário Domingos Xavier pela polícia secreta portuguesa, do ponto de vista da mulher que procura pelo marido preso.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.