Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Selecção Oficial - Em Competição

Festivais e Prémios:

Festival de Cannes 2022 - Selecção Oficial em Competição
Sindicato Nacional de Jornalistas Italianos 2022 - Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento, Melhor Actor (Pierfrancesco Favino) e Melhor Actor Secundário (Francesco Di Leva)

Ficha técnica:

Argumento: Mario Martone, Ippolita di Majo, baseado no romance homónimo de Ermanno Rea
Produtor: Roberto Sessa
Director de Fotografia: Paolo Carnera

Nostalgia

Um filme de Mario Martone

Voltar
Nostalgia é um filme de 2022 baseado no livro de Ermanno Rea com o mesmo nome. Depois de ter passado 45 anos entre o Médio Oriente e África, Felice Lasco regressa à sua cidade natal, Nápoles, para cuidar da sua mãe, que se encontra muito doente. À medida que percorre as ruas do seu bairro de infância, Sanità, Felice vai reencontrando pessoas e reconhecendo os códigos e a linguagem daquele lugar. Neste regresso, Felice vai ter de enfrentar um passado que o consome.

Seguido de conversa com o realizador, em colaboração com o Istituto Italiano di Cultura e o BeIT.
  • Elenco:

    Pierfrancesco Favino, Francesco Di Leva, Tommaso Ragno, Aurora Quattrocchi, Sofia Essaidi, Nello Mascia, Emanuele Palumbo, Artem, Salvatore Striano, Virginia Apicella
  • Título original:

    Nostalgia
  • País:

    Itália, França
  • Ano:

    2022
  • 117’ IT, Legendas: PT, EN

Festivais e Prémios:

Festival de Cannes 2022 - Selecção Oficial em Competição
Sindicato Nacional de Jornalistas Italianos 2022 - Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento, Melhor Actor (Pierfrancesco Favino) e Melhor Actor Secundário (Francesco Di Leva)

Ficha técnica:

Argumento: Mario Martone, Ippolita di Majo, baseado no romance homónimo de Ermanno Rea
Produtor: Roberto Sessa
Director de Fotografia: Paolo Carnera

Horários

Centro Cultural Olga Cadaval Auditório Acácio Barreiros

6€

Cinema Medeia Nimas

Com presença do realizador e da co-argumentista Ippolita Di Majo
8/6€

Realizador

Mario Martone

Nascido em Itália em 1958, Mario Martone é um realizador e argumentista. Iniciou a sua carreira no teatro, tendo co-fundado o grupo napolitano Falso Movimento, em 1977, um dos mais importantes colectivos vanguardistas contemporâneos. Desde cedo interessado no diálogo entre variadas expressões artísticas, transitou naturalmente para o cinema nos anos 90. Através de filmes como Teatro di Guerra (1998) ou o fresco histórico Noi Credevamo (2010), Martone questiona o lugar da violência e da arte na sociedade. O seu filme de estreia, Morte di un Matematico Napoletano, foi distinguido com o Grande Prémio do Júri do Festival de Veneza, em 1992.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.