Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Selecção Oficial - Em Competição

Festivais e Prémios:

Festival de Cinema de Berlim 2022 - Selecção Oficial, Secção Fórum
Festival de Cinema de Tóquio 2021 - Prémio Melhor Realizador

Ficha técnica:

Argumento: Darezhan Omirbayev
Produção: Yuliya Kim, Yerzhan Akhmetov
Director de Fotografia: Boris Troshev

Poet

Um filme de Darezhan Omirbayev

Voltar
Didar é um poeta absorvido pelo seu trabalho diário num pequeno jornal. Nestes tempos de consumo em massa, do triunfo dos conteúdos digitais, da comercialização e das redes sociais, são raros os que ainda se interessam pela poesia. Ao ler a história de um célebre poeta cazaque do séc. XIX, executado pelo poder, Didar fica profundamente abalado e reconhece ao mesmo tempo a dureza e a exigência da sua vocação. Convidado para uma leitura numa cidade de província, Didar está dilacerado entre a dor e a alegria, entre os seus êxitos e os seus fracassos.
  • Elenco:

    Aida Abdurakhman, Klara Kabylgazina, Yerdos Kanaev, Gulmira Khasanova, Serik Salkinbayev, Bolat Shanin
  • Título original:

    Akyn
  • País:

    Cazaquistão
  • Ano:

    2021
  • 105’ KZ, Legendas: PT, EN

Festivais e Prémios:

Festival de Cinema de Berlim 2022 - Selecção Oficial, Secção Fórum
Festival de Cinema de Tóquio 2021 - Prémio Melhor Realizador

Ficha técnica:

Argumento: Darezhan Omirbayev
Produção: Yuliya Kim, Yerzhan Akhmetov
Director de Fotografia: Boris Troshev

Horários

Cinema Medeia Nimas

Com presença do realizador
8/6€

Centro Cultural Olga Cadaval Auditório Acácio Barreiros

6€

Cinema Medeia Nimas

Sessão legendada apenas em português
8€

Realizador

Darezhan Omirbayev

Realizador e argumentista, nascido no Cazaquistão em 1958, e aclamado por Jean-Luc Godard como “um dos mais estonteantes cineastas da actualidade”, Darezhan Omirbayev começou por estudar Matemática Aplicada no Cazaquistão, tendo posteriormente abraçado o Cinema ao mudar-se para a Rússia, em 1983. Após uma breve passagem pela crítica, estreou-se nas longas-metragens com Kairat, em 1991, obra que lhe valeu o prémio FIPRESCI, no Festival de Locarno. Dotado de uma peculiar sensibilidade para os detalhes, Omirbayev retrata-nos, em cada microcosmos social que compõe a sua obra, a monotonia da vida quotidiana cazaque e os pequenos nadas que definem a existência humana.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.