Lisbon & Estoril Film Festival

Filmes

Ciclos Temáticos - Romper as Grades: A cultura como espaço de liberdade e a resistência nas prisões

Festivais e Prémios:

Festival de Cannes 1982 - Palma de Ouro e Prémio FIPRESCI

Ficha técnica:

Argumento: Yilmaz Guney
Produção: Yilmaz Guney, Edi Hubschmid, Kerim Puldi, Eliane Stutterheim
Director de Fotografia: Erdogan Engin

YOL - Licença Precária

Um filme de Serif Gören & Yilmaz Güney

Voltar
Yol é um duro retrato da realidade turca a partir das histórias de cinco prisioneiros que são libertados para visitar as suas casas durante uma semana. Cada um encontrará um cenário diferente, mas a conclusão a que chegarão será a mesma: nada permanece como antes.

Este filme representa a violência da sociedade e do regime turcos através das várias relações das personagens, em família, em sociedade, com as mulheres, e, principalmente, mostra a aniquilação do povo curdo pela Turquia.
  • Elenco:

    Meral Orhonsay, Halil Ergun, Necmettin Cobanoglu, Mikmet Celik, Tarik Akan, Serfi Sezer, Tuncay Akca, Guven Sengil
  • Título original:

    YOL
  • País:

    Suíça
  • Ano:

    1982
  • 107' TR, Legendas: PT

Festivais e Prémios:

Festival de Cannes 1982 - Palma de Ouro e Prémio FIPRESCI

Ficha técnica:

Argumento: Yilmaz Guney
Produção: Yilmaz Guney, Edi Hubschmid, Kerim Puldi, Eliane Stutterheim
Director de Fotografia: Erdogan Engin

Horários

Centro Cultural Olga Cadaval Auditório Acácio Barreiros

6€

Realizador

Serif Gören & Yilmaz Güney

Serif Gören nasceu a 14 de outubro de 1944 em Ksanthi, na Grécia. Gören começou a sua carreira no cinema como editor e, mais tarde, como assistente do realizador Yilmaz Güney.  Os dois começaram por realizar Endise (The Anxiety) em 1974, mas Güney acabou por ser preso. Serif Gören continuou a realizar o filme e The Anxiety tornou-se um filme de sucesso, e o primeiro que Gören realizou sozinho, acabando por ganhar vários prémios no 12th Antalya Film Festival, em 1975, incluindo o Melhor Filme Nacional e Melhor Realizador Nacional. Gören fez mais de 30 filmes durante uma década. Foi preso também em 1979-1980 e começou a realizar YOL, um ano depois, em 1981.

Yilmaz Güney, realizador, guionista, escritor e actor curdo esteve preso, por razões políticas, de 1960 a 1962 e de 1972 a 1974. Em 1975, é acusado de assassinar um Procurador Público, depois de uma luta quando estava bêbado, e foi condenado a 19 anos de prisão. Durante todo o período em que esteve preso continuou a escrever guiões e a realizar.

Foi durante este tempo que pensou em Yol que, em turco, significa “o caminho”. Güney trabalhava com um guião com anotações muito claras e rigorosas, que mais tarde passou a Şerif Gören, que fez todas as filmagens. Diz-se que Güney ia acompanhando as filmagens vendo os negativos na prisão, e que até chegaram a projetar partes do filme na parede da cela. Depois da rodagem terminar, Güney recebeu uma autorização para passar uma semana em casa, tal como acontece em YOL. Acabou por fugir e foi na Suíça e, depois em França, onde, com Şerif Gören, editou o filme num curto espaço de tempo, para o poder candidatar ao Festival de Cannes. Devido ao pouco tempo e alguns contratempos, Güney considerou sempre que o filme estava inacabado e prometeu acabá-lo, mas em 1984 morre, vítima de um cancro, sem chegar concluir o filmes como desejava.
Este website usa Cookies. Ao navegar neste website está a concordar com a nossa Política de Cookies.